sexta-feira, 20 de maio de 2016

terça-feira, 29 de março de 2016

CEMITÉRIO



Ano da fundação: 1931

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Associação de Apoio à Solidariedade Social de Agrobom

Associação de Apoio à Solidariedade Social de Agrobom

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

FONTE RABO DE BURRO

Identificação Rabo de Burro

Saindo da Alfandega da Fé pela estrada de Peredo, depois de passarmos o lugar do Castelo, a 11 Km daquela vila, atingimos o sítio denominado Rabo de Burro, no vale da Ribeira de Agrobom. Da estrada ao local da nascente são 5 minutos a pé, a procurar caminho entre giestas duma íngreme encosta. (Almeida, 1970)

Indicações Abre o apetite e é digestiva (popular)

Instalações/ património construído e ambiental
“A água brota duma deiscência do rochedo, deixando no seu trajecto um depósito vermelho” (Almeida, 1970)

Grupo das Bicarbonatadas, Alcalino terrosas. Alcalino sódica /hipossalina, hipotermal […] com a mineralização dominante feita pelo bicarbonato, precipitando facilmente o ferro. (Almeida, 1970)

Bibliografia Almeida 1970.

sábado, 23 de julho de 2011

HERÁLDICA

Edital n.º 420/2011
Ordenação heráldica brasão, bandeira e selo
Eduardo Manuel Morais Almendra, presidente da Junta de Freguesia de Agrobom, do município de Alfândega da Fé:
Torna pública a ordenação heráldica do brasão, bandeira e selo da freguesia de Agrobom, do município de Alfândega da Fé, tendo em conta o parecer emitido em 16 de Janeiro de 2011, pela Comissão de Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses, e que foi estabelecido, nos termos da alínea q), do n.º 2 do artigo 17.º do Decreto-Lei n.º 169/99 de 18 de Setembro, sob proposta desta Junta de Freguesia, em sessão da Assembleia de Freguesia de 16 de Abril de 2011.
Brasão: escudo de ouro, uma faixa de negro lavrada de prata, acompanhada, em chefe, de uma balança de vermelho, sustida por uma espada alçada de lâmina flamejante, do mesmo e, em campanha, de duas azeitonas de negro, folhadas de verde, com os seus pés passados em aspa. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: «Agrobom».
Bandeira: negra. Cordão e borlas de ouro e negro. Haste e lança de ouro.
Selo: nos termos da lei, com a legenda: «Junta de Freguesia de Agrobom - Alfândega da Fé».
27 de Abril de 2011. -
O Presidente, Eduardo Manuel Morais Almendra.
304619077

AZULEJARIA

FOLAR DE PÁSCOA

Gastronomia
FOLAR DE PASCOA
Ingredientes
2,5 colheres de sopa de leite
120 gr de açúcar
110 gr de manteiga
5 ovos
225 gr de farinha de trigo
12 gr de fermento de padeiro
1 gema
Raspa de limão e miolo de amêndoa q.b
1 colher de sopa de açúcar de pasteleiro
Preparação
Dissolva o fermento no leite morno e deixe levedar por 10 minutos.
Misture muito bem a farinha com o açúcar e a raspa de limão, junte a manteiga levemente mole, 4 dos ovos e amasse muito bem. Junte a mistura do fermento já lêveda e amasse.
Deixe levedar durante 20 minutos.
Coza o quinto ovo em água a ferver durante 12 minutos.
Divida a massa em duas partes iguais e tenda-as em rolo.
Enrole os rolos um no outro, com a forma de um torcido.
Una as extremidades, colocando no centro do folar o ovo cozido.
Deixe repousar durante mais ½ hora, pincele com a gema de ovo batida e polvilhe com o miolo de amêndoa.
Pré aqueça o forno a 180º C.
Leve ao forno durante 35 minutos.
Depois deixar arrefecer um pouco, polvilhe com açúcar de pasteleiro.

HISTÓRIA

História administrativa
Foi abadia do padroado real. Pertenceu ao antigo concelho de Chacim, extinto pelo decreto de 31 de Dezembro de 1853. A partir desta data passou para o concelho de Alfândega da Fé. Pertenceu ao arcebispado de Braga até ao ano de 1882, a partir desta data passou para a Diocese de Bragança.

terça-feira, 19 de julho de 2011

FRAGA DA TECEDEIRA

Há lenda da moura encantada e de tesouros encantados em Agrobom [concelho
de Alfândega da Fé], no sítio chamado Fontaínhas, onde aparece a moura a tecer em
tear de oiro na manhã de São João, e por isso chamam ao sítio Fraga da Tecedeira e
ainda Mourim. O tesouro consta de um lagar de oiro.
Diz a lenda que para o desencantar já lá foi um padre com o povo fazer
esconjuros e rezas. Apareceu o diabo escarnanchado na ponta do peso do lagar,
declarando como que violentado e com a horrenda cara de quem é:
– O tesouro aqui está. Onde queredes que vo-lo apresente?
Tudo fugiu aterrado e o diabo desapareceu com o lagar, sem mais haver notícia
dele.
Fonte: ALVES, Francisco M. – Memórias Arqueológico-Históricas
do Distrito de Bragança, vol. IX, Porto, 1934, p. 490

domingo, 19 de junho de 2011

sexta-feira, 17 de junho de 2011

DADOS GERAIS

Área: 1553 ha
População: 103 habitantes
Património cultural edificado:
Igreja Matriz, Capelas de S. Sebastião, de S. Lourenço, Fonte de Mergulho, Sede Freguesia, Tanque com Bebedouro para Animais, Fontanário de S. João, Alminhas, Tanques Públicos
Património Paisagístico:
Margens da Ribeira, Fragas do Padeiro, Fraga Amarela
Festas e Romarias:
Festas de Nossa Senhora da Graça no 2º Domingo de Agosto, de S. Sebastião a 20 de Janeiro, de S. Lourenço a 10 de Agosto
Gastronomia:
Cordeiro Assado, Caldeirada de Cabrito, Fumeiro com Enchidos dos derivados de Porco, Folar de Carne
Locais de lazer:
Margens da Ribeira
Espaços lúdicos:
Campo de Futebol de Agrobom
Artesanato:
Rendas, Bordados, Queijaria Doméstica
Turismo rural:
Pousada da Escola de Felgueiras
Orago: S. Miguel
Principais actividades económicas:
Agricultura, Olivicultura, Vitivinicultura, Pastorícia, Amêndoa, Cereja, Comércio, Serviços
Colectividades:
Associação Cultural e Desportiva Agrobonense, Associação de Apoio Social de Agrobom

IGREJA MATRIZ DE AGROBOM

Igreja Paroquial de Agrobom / Igreja de São Miguel

Largo da Igreja
5350-101 Alfândega da Fé, Alfandega da Fé

Igreja barroca de planta longitudinal composta por uma nave única, uma capela-mor e uma sacristia adossada. Foi provavelmente construída em 1720, data inscrita sobre a porta lateral, sofrendo depois remodelações no século XX.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

DESCRIÇÃO

Esta localidade é sede de freguesia e inclui uma povoação anexa com o nome de Felgueiras. Localiza se a cerca de 10 quilómetros da sede do concelho, para nordeste, na vertente sul da serra de Bornes. A principal actividade é a agricultura, possuindo terrenos férteis, circunstância que pode estar na origem do próprio nome, "campo bom". Azeite, amêndoa e fruticultura são as principais produções, estando uma parte do termo incluído no regadio da barragem da Camba, construção recente da iniciativa da Câmara Municipal. No profundo e apertado vale da ribeira de Agrobom cultivam se ainda vários produtos hortícolas, que surgem mais cedo, devido às características do microclima ali existente; nessa mesma zona se localizam as ruínas de uma antiga capela (Santa Marinha) acerca da qual se conta uma lenda interessante: como a capela era disputada pelos de Sambade e pelos de Agrobom, por não se entenderem quanto aos limites das respectivas freguesias, a Santa fez o milagre de mudar o curso da ribeira, para que a capela ficasse do lado desta freguesia. Actualmente com 222 eleitores inscritos, os residentes dificilmente ultrapassam a centena e meia de pessoas. A igreja Matriz é um edifício com algum interesse e no interior possui um altar mor em talha pouco bem conservado, mas digno de se apreciar. Realizam se festas em honra de S. Sebastião (20 de Janeiro), Nossa Senhora das Graças (2° domingo de Agosto) e S. Lourenço (10 de Agosto).

domingo, 19 de setembro de 2010

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E DESPORTIVA AGROBOENSE

Associação Cultural e Desportiva Agrobonense

FESTAS E ROMARIAS

Festa de Na. Senhora da Graça - Realiza-se no 2º Domingo de Agosto.
Festa de São Sebastião - Tem lugar a 20 de Janeiro.
Festas de São Lourenço - Realiza-se a 10 de Agosto na aldeia de Felgueiras

Património Arquitectónico

Igreja Matriz - Templo de arquitectura barroca nacional. Tem uma única nave e a capela-mor exibe retábulo em talha dourada barroca, estilo joanino.
Capelas: - Capela de São Sebastião;-
Ermida de São Lourenço, na povoação de Felgueiras;
Fontes, existem algumas na freguesia.
Cruzeiros podemos encontrar vários pela freguesia.
Ruínas da antiga Capela de Santa Marinha
Reza a lenda que a santa era disputada pelas freguesias de Agrobom e Sambade. Durante a noite a santa mudou o curso da ribeira para poder pertencer à freguesia de Agrobom e assim terminaram as disputas pela mesma

A HISTÓRIA

Agrobom é a primeira freguesia de Alfândega da Fé. É sede de freguesia e inclui uma povoação anexa com o nome de Felgueiras. Localiza-se a cerca de 10 quilómetros da sede do concelho, para nordeste, na vertente sul da serra de Bornes.Esta povoação é muito antiga, porém não se conhece a data da sua fundação, embora conste que existiu um castro romano, do qual não existe qualquer vestígio.No que concerne à paróquia da aldeia, esta fica situada a dezoito quilómetros da sede do concelho, foi pertença do padroado real. Era uma freguesia de grande rendimento para abade.Tendo anexado a si a povoação de Vale Pereiro, hoje independente, pertenceu até 1855 à vila de Castro Vicente.

JUNTA DE FREGUESIA

Morada: Rua da Laranjeira (EM 590)
5350-101 Alfândega da Fé
SITE
Telefone: 279 449 003
E.mail: jfagrobom@patrimonio-turismo.com

Freguesia de Agrobom

Área da freguesia: 15,53 km.
População residente: 200 hab.
Aldeias anexas: Felgueiras.
Distância à sede de concelho: 18 km.
Património cultural e edificado: Igreja Matriz, Ermida de S. Lourenço, fontes e cruzeiro.
Locais a visitar: Margens da ribeira e fragas do Padeiro e Amarelas.

O nome da freguesia remete-nos desde logo para uma das suas principais características, Agrobom, seria, etimologicamente, um “campo bom”.
As suas gentes sempre se dedicaram à agricultura, fruto também da fertilidade dos terrenos desta zona. Azeite, amêndoa e fruticultura são as principais produções, estando uma parte do termo incluído no regadio da barragem da Camba.
No profundo e apertado vale da ribeira de Agrobom cultivam-se ainda vários produtos hortícolas, que surgem mais cedo, devido às características do microclima ali existente. Nessa mesma zona localizam-se as ruínas de uma antiga capela (Santa Marinha) acerca da qual se conta uma lenda interessante.
Reza a lenda que a Capela de santa Marinha era motivo de disputa entre a população de Agrobom e Sambade, que não se entendiam quanto aos limites das respectivas freguesias. Ora, a Santa fez o milagre de mudar o curso da Ribeira para que a capela ficasse do lado Agrobom, terminando assim a disputa entre as duas localidades

domingo, 27 de setembro de 2009